A Bósnia-Herzegovina, apesar de geograficamente localizada na Europa não se encontra na Comunidade Europeia nem usa o Euro. A sua moeda chama-se Marco Convertível, que tem KM (Konvertibilna Marka) como sigla podendo em alguns locais surgir como BAM. O KM é fraccionado em 100 pfenigs (ou fenings), tal como sucedia com o antigo Marco alemão.

Inicialmente, quando o país se tornou independente na sequência da fragmentação da ex-Jugoslávia, o Marco Convertível estava indexado ao Marco alemão. O estabelecimento da moeda nacional foi definido nos acordos de paz de Daytona em 1995 e a introdução efectiva do Marco Convertível deu-se a 22 de Junho de 1998, apesar de nessa altura e nos tempos que se seguiram o Marco alemão ser amplamente usado no país, como moeda forte, ao abrigo da forte inflação. Mas depois chegou o Euro, o Marco alemão desapareceu e as autoridades bósnias tiveram que arranjar outra solução, indexando a moeda nacional ao Euro.

Isto quer dizer que não existem flutuações cambiais e na realidade trata-se de uma conversão bem simples: 1 Eur são 2 KM. Na realidade, o valor exacto da conversão é de 1 Eur = 1.95583. Mas claro que ao ver preços, as pessoas pensam imediatamente pela metade: 2 KM são 1 Eur, 50 KM são 25 Eur. Etc.

Apesar de alguns locais poderem aceitar o Euro, não é normal nem deve esperar que possa pagar a sua conta com a moeda Europeia.

À data de redacção deste artigo (Dezembro 2016) existiam em circulação as seguintes moedas: 5, 10, 20 e 50 fenings; 1, 2 e 5 KM. Quanto a notas, 10, 20, 50, 100 e 200 KM, sendo que estas últimas são relativamente raras.

Nota: se está a pensar visitar o Montenegro a situação é ainda mais simples, uma vez que apesar de não pertencer à Comunidade Europeia, a moeda oficial daquele país é mesmo o Euro.

Para o viajante obter moeda local, ou seja, Marcos Convertíveis, existem três hipóteses principais, mas tenha em consideração que na hora de regressar terá que trocar de volta o dinheiro que não usar antes de sair do país, porque no exterior não será possível proceder a tal operação.

Câmbio num Banco

Tudo o que tem a fazer é encontrar um banco e trocar o seu dinheiro, de preferência Euros ou US Dólares, pela moeda local. Inconvenientes: tem de encontrar um banco dentro do seu horário de abertura ao público; por vezes é preciso esperar um bom bocado para ser atendido; é necessário ter o seu passaporte consigo.

Câmbio numa Casa de Câmbios

Apesar de existirem, não são muito frequentes. Por vezes estão agregadas com outros negócios, como o de posto da Western Union. Como a taxa de câmbio é muito linear, não há muito que enganar. Dá 100 Eur, espere receber cerca de 200 KM. Veja se há taxas, compare-as com as taxas de levantamento no Multibanco e decida qual é a opção mais vantajosa. Há pelo menos algumas casas de câmbio onde a comissão de levantamento é simbólica (por exemplo, 0,10 Eur), o que as torna uma opção atractiva, mas é melhor assumir que não vai ter acesso a uma solução destas.

Levantamentos no Multibanco

Por todo o lado, mesmo em pequenas aldeias, existem terminais de Multibanco que podem ser usados com qualquer cartão da rede internacional. É a opção mais prática e se eventualmente for preciso pagar um pouquito mais, talvez a facilidade de processos valha a pena. Estão sempre disponíveis, não é preciso esperar nem preencher papelada.

Outras Opções

Poderá obter moeda local de forma mais informal, por exemplo, em hotéis. Ou pode usar os serviços da Western Union para receber dinheiro, mas como sabemos essa é uma opção de emergência devido às elevadas taxas praticadas pela companhia.

 

 

COMPARTILHAR
Conheci a Bósnia-Herzegovina e o Montenegro em 2011, apesar de já ter ouvido muito sobre o país através do meu vizinho e amigo Vedo. Desde então regressei várias vezes, apaixonado pelo tom misterioso de um país que será talvez o menos visitado da Europa. Acabei por ser convidado pela The Wanderlust para organizar expedições à Bósnia e Herzegovina e Montenegro, tornando-me, por assim dizer, um profissional de viagem à Bósnia e Herzegovina.

DEIXE UMA RESPOSTA